ORGANOCLORADOS

ORGANOCLORADOS
ORGANOCLORADOS
Um som híbrido, considerando as múltiplas vibrações sonoras que nos envolvem: barulhentos aviões pulverizadores, insanas metralhadoras, tambores do Caribe, silêncio breve de violetas, etc.
A Organoclorados se insere em justaposição de niilismo e rebeldia. Dá preferência a letras conceituais, evitando a superficialidade dos otimistas ou a decadência dos pessimistas. Uma proposta franca de não alinhamento.
Um som que poderia ser sentido num dia de chuva – chuva artificial, produzida num atomizador carregado de fensulfation clorado.

As primeiras músicas foram compostas em 1985, a partir da parceria entre dois amigos da Escola de Agronomia da UFBA (Cruz das Almas-BA), o que originou o nome da banda, referência a um tipo de agrotóxicos. Depois de algumas formações experimentais entre 1986 e 1989 (shows em Cruz das Almas, Esplanada, Aporá e Alagoinhas), o ponto de equilíbrio veio em 1990, com André G (contrabaixo), Artur W (guitarra, voz), Joir (bateria) e Roger (guitarra). Os ensaios ficaram cada vez mais consistentes e as apresentações em Alagoinhas e cidades da região tornaram-se mais frequentes, variando entre bares, casas noturnas, clubes, praças públicas, festivais e encontros de bandas.
Em 2001, a banda produziu o CD Princípio Ativo de forma independente, com treze faixas de própria autoria, composição e arranjo, que permitiu o acesso ao circuito de bares, casas noturnas, encontros de bandas e eventos em teatros e universidades de Salvador. A lista é bastante extensa. Em 2005, a banda produziu também por conta própria um show que foi realizado no Centro de Cultura de Alagoinhas e gravado em DVD, sendo lançado no início de 2006.
A Organoclorados produz um som denso e enérgico, sem deixar de ser melodioso, com arranjos que procuram fugir do lugar comum, combinando cadências dançantes com temas fortes das letras. O principal referencial é o rock pós-punk, flertando com o gótico e o psicodelismo, além de referências no blues e rhythm’blues. Nas letras, uma forma singular de expressar pensamentos, opiniões e sentimentos, que utiliza termos e paradigmas científicos para tratar de assuntos do cotidiano, relacionamentos e questões existenciais, sociais e ambientais.
Em 2006, acontecimentos trágicos na família de dois de seus integrantes interromperam as aparições em público, e a banda entrou em retiro espiritual, digerindo dor e sofrimento. Em 2012, retornaram aos ensaios e logo reapareceram na cena rocker de Alagoinhas, com destaque para os tributos a Legião Urbana (2013), Raul Seixas (2014) e The Doors (2015) e o Arena Ativa (2014). Em 2015, a banda começou a preparar músicas para novas gravações em estúdio. Em outras cidades, apresentações memoráveis no Villa’s Rock Fest (Lauro de Freitas-BA, 2015), na Coletânea Rock Recife-PE (2016), no II Rock Metal Fest, em Esplanada-BA (2016) e no “Quanto Vale o Show” no Dubliners Irish Pub (2016). A Organoclorados fez parte da grade de bandas do Soterorock 2016, evento inédito em Salvador-BA, com bandas autorais de destaque do rock baiano. Em dezembro de 2016, foi lançado o EP Organoclorados com faixas remasterizadas e uma inédita. Em 2017, destacam-se até agora as apresentações no It’s Not Pub em Catu-BA, nas edições do Sunday Rock em Alagoinhas e Catu-BA, no Let’s Go Pub em Alagoinhas-BA e os shows no Buk Porão: Festival InRock e 5ª edição do Poesia, Rock e Esmeril (junho). Enquanto finaliza as gravações para um novo CD em estúdio, a banda lançou simultaneamente seu primeiro single de 2017 em plataformas de distribuição digital, acompanhado de um clipe que também já circula na internet. Em julho, a Organoclorados estará presente no II Festival de Rock de Alagoinhas (FERA).

, ,
Alagoinhas
Bahia
1987
Atualmente
  • ORGANOCLORADOS
  • ORGANOCLORADOS
  • ORGANOCLORADOS

Send Message to listing owner

ORGANOCLORADOS