Stoner

Barcode Stoned Drivers
Paraná
Banda de Rock n’ Roll de Curitiba

O BSD é uma banda de Rock n’ Roll de Curitiba/PR formada pelo único músico paranaense Paul Dini.
Inspirado pelo Rock Clássico dos anos 70, passando pelo grunge dos anos 90 e pelo Rock Alternativo atual, o projeto é focado em canções com riffs e timbres de guitarra mais sujos (voltados para o Stoner Rock), mas sem deixar de lado a métrica pop nas canções: verso, refrão, verso, refrão.
A Ideia da “banda de um homem só” surgiu no final de 2014 e acabou rendendo em 2015 o EP de estreia “Long Road to Your Freedom” com 4 canções.
O disco de estreia da banda “Private Pandemonium” e foi lançado em Janeiro de 2017 contendo 9 canções.
Em tempo, todos os vocais e instrumentos de corda (Guitarras, baixos e violões) foram gravados e bateria programada por Paul Dini, que também compôs e mixou todas as canções.

Curitiba
2014
Atualmente
Hessex Alone
Santa Catarina
,
Universo neopsicodélico, repleto de dissonâncias e experimentações antimusicais.

Dos palcos undergrounds até lançar os singles “Chaos” e “Filhos do Sol” pelo Selo Caroçu (parceria entre Xandão d’O Rappa e o produtor musical Tom Sabóia) são quinse anos estudando, compondo, criando e tocando profissionalmente.

“Ouvir aos sons de Hesséx me aguçam os sentidos e começo a perceber coisas que antes não percebia. Questiono-me da própria realidade como num “Lindo Sonho Delirante””… Felipe Harger.

Os grooves muito firmes e bem executados pelos músicos Felipe Harger(contrabaixo) e André Venâncio(bateria) e na outra guitarra completando as harmonias Paulo Cesar Nunes, caminham em meio as experimentações musicais que vão desde efeitos analógicos e digitais de maior requinte, até utensílios domésticos que mais parecem ter saído de um álbum de Tom Zé.

A voz convida a conhecer esse universo neopsicodélico, repleto de dissonâncias e experimentações antimusicais, tudo isso em coerência com o contexto estético da música de Hesséx que se deve também ao excelente trabalho de Tom Sabóia e do Estúdio Caroçu durante o processo de gravação, mixagem e masterização.

As guitarras por sua vez, ora ensaiam soar como outros instrumentos, ora buscam soar como qualquer outra coisa que não seja uma guitarra ou qualquer outro instrumento!

As letras demonstram uma crueza autêntica, em cima de constatações sobre a natureza humana, valendo-se tanto de metáforas quanto uma linguagem direta. Para Hesséx, é natural do homem provocar o caos. É uma constatação, não uma indagação.

A obra de Hesséx Alone propõe quebrar muitos paradigmas musicais através de uma experiência sonora inovadora e original.

É definitivamente uma obra contemporânea que agrega novidade ao cenário independente da música popular brasileira, acrescentando cores singulares a esse rico universo.

Uma provocação em forma de música. Um convite aos curiosos. Um agradável soco nos tímpanos.

47992706637
Joinville
2015
Atualmente
In The Rosemary Dreams
Paraná
O trio curitibano IN THE ROSEMARY DREAMS, nasceu no verão de 2014 para fazer música autoral com letras subliminares misturando stoner, jazz, funk, blues com a pegada visceral do garage rock.

Visando desconstruir fórmulas óbvias, adotando andamentos pouco ortodoxos e continuas mudanças rítmicas e melódicas, a banda paranaense In The Rosemary dreams faz o ouvinte transitar entre os mais variados ambientes sonoros.

O grupo apresenta canções com levadas de Post Rock, Rock Progressivo, Soul, jazz ou tudo ao mesmo tempo, mas sem perder a pegada visceral do rock de garagem. E mesmo reunindo as mais variadas influências, não abre mão da autenticidade ao compor e o valor à atenção de quem ouve para oferecer experiências singulares.

A banda nasceu no verão de 2014, na região metropolitana de Curitiba, sendo formada por parceiros de longa data: o baterista Alexander Medina, o baixista Zarce Matos e o guitarrista/vocalista Anderson Lima, que já tocaram juntos entre 2005 e 2012.

Nesse pouco tempo de existência o trio levou o prêmio de melhor banda do V FESTIVAL DE MÚSICA DE PIRAQUARA em 2014, participou do Corredor Cultural de Curitiba em 2015 e fez outras apresentações pela cidade.

Como era de se esperar de um grupo de Rock Experimental, a banda tem andado às margens do mercado fonográfico não só pelas composições, mas também por apresentações inusitadas e processos de gravação alternativos. Totalmente independente, o grupo está editando o seu primeiro EP, tendo como técnico de som e co-produtor um velho amigo, Michael Vedovelli, músico curitibano radicado em São Paulo.

O primeiro EP(gravado em uma caverna), será lançado também de maneira independente (a banda ainda não tem selo nem gravadora); prometem os suportes como CD, K7 e MP3.

(41) 991656937 / (41) 997802844 / (41) 984453200
Curitiba
2014
Atualmente
Mad Head Machine
Santa Catarina
, ,
Banda autoral de Rock/ Metal de Joinville SC.

“Formado no final de 2013, o trio joinvillense Mad Head Machine recentemente liberou o seu EP de estréia. “Mad Head Machine” contem quatro faixas que associam uma pegada”motorhediana” a influências de bandas como Black Label Society e Brand New Sin, numa vibe meio Southern Metal. Entretanto, toques e inspirações de stoner rock tambem podem ser encontrando em meio ao trampo, talvez devido ao gosto dos caras por nomes do gênero!”
Texto por Matheus Jacques
.
instagram.com/mad_head_machine
facebook.com/madheadmachine
youtube.com/watch?v=lHr3augjL60
madheadmachine.bandcamp.com/releases
soundcloud.com/madheadmachine

2013
2017
Sylverdale
Santa Catarina
, ,
Ex-dupla, ex-trio, atual quarteto de Joinville/SC. Hesséx (Guitarra/Vocal), Juninho (Guitarra), André Venas (Bateria), Felipe Harger (Baixo) influenciado pelo rock dos anos 90 misturado com ideias e sons atuais.

Formada em 2003 e de la pra cá ja passou por varias formações, duo, trio e atual quarteto de Joinville SC. Hessex Oliveira na guitara e vocais, Pauo Cesar Nunes na guitara e vocais, Felipe Harger no Baixo e vocais e André Venas na Bateria. A voz quer rasgar as cordas vocais enquanto que o volume quer rasgar os alto falantes. Cru e visceral é a única forma como eles se apresentam. Há arestas, falhas e farpas. Há também vibração e emoção. São quatro que querem traduzir uma linguagem que não é daqui. Sem dicionário ou gramática. A estética é instável ao passo que a mudança é inevitável. A mensagem? “Do it yourself”, “Be your own hero”. Sylverdale

47992706637
Joinville
2003
Atualmente