Entrevista com Naome Rita, representando muito bem a força feminina no rock curitibano.

0
206
Naome Rita
Naome Rita

Ivy Sumini e Sisie Soares conversaram com o Palco Local abrindo a história da banda, seus projetos e expectativas para o futuro e muito mais. Confira:

Palco Local –  Como disse o Neri Rosa em uma entrevista, o Palco Local é um canal didático e a ideia é que pessoas que nunca ouviram falar da banda possam conhecer e ouvir. Por isso vamos iniciar com uma pergunta bem trivial, qual a formação da banda? Quem toca o que? Quem canta?

Naome Rita – A formação é composta pela Sisie na bateria e vocais, e Ivy na guitarra e vocais.

Naome Rita
Sisie Soares – Ivy Sumini

Palco Local –  A formação atual é a mesma desde o início ou tiveram algumas mudanças no percurso?

Naome Rita – No começo, lá em 2013 a banda era um quarteto, muita coisa aconteceu desde então, passamos a ser um trio, entraram baixistas e saíram baixistas,  foram 6. E depois de um tempo em 2016 decidimos continuar como duo mesmo, não iriamos parar por não ter dado certo com alguém no baixo ou algo do tipo.

Palco Local –  Daria pra contar um pouco sobre como surgiu a ideia de formar a banda?

Sisie – Desde que me conheço por gente queria tocar, toquei em algumas mas não havia a msm sintonia. Na  Naome Rita tanto eu quanto a Ivy fomos as últimas a entrarem e as únicas a permanecerem.

Ivy – Eu sempre quis ter banda também, em 2013 eu tinha 19 anos e estava desistindo disso devido a algumas bandas que não deram certo, então recebi o convite pra tocar em um banda que estava começando e não tinha ninguém pra tocar guitarra nem nome, acho que fui a última opção por falta de opção mas deu tudo certo e estamos ai.

Palco Local –  O nome da banda ficou super bem bolado, um trocadilho com nomes femininos que forma uma cacofonia. Como foi o processo de escolha do nome? Há algum significado especial pra vocês ou foi uma escolha aleatória?

Ivy – Eu no começo queria que o nome da banda fosse Sasha Gray,  ainda bem que não foi esse o nome escolhido, obrigada Sisie por não deixar isso acontecer. Uma amiga da Sisie costumava usar de várias cacofonias e acabou vindo com essa que acabou ficando!

Palco Local –  A gente percebe uma boa dose de humor nas letras de vocês. O estilo pode ser definido como punk ou tem alguma outra vertente que se encaixa melhor na música que fazem?

Naome Rita – Tem um pouco de tudo que a gente gosta de ouvir e tocar, isso é o legal, se rotular demais e se encaixar apenas em um nicho pode ser complicado. No último trabalho, o ‘Tropical Punk’ já começamos com a faixa título do disco, com alguns elementos mais latinos e dançantes, esperamos usar mais disso nos próximos trabalhos sem nos prender apenas a uma pegada de som.

Palco Local –  Vocês representam muito bem a força feminina no rock e em Curitiba podemos ver muitos exemplos como o de vocês. E quem conhece vocês sabe que lutam bastante por seus direitos e pela igualdade, vocês costumam transferir ou já transferiram esse tema para algumas músicas?

Ivy –  É importante falar sobre isso e deixar claro que não apenas nós podemos ter uma banda, tocar um instrumento, fazer o que quisermos sendo mulheres, como todas podem. Legal saber que da mesma forma que fomos influenciadas e empoderadas, outras gurias também vão se sentir assim e começar uma banda por exemplo. Acho que nossas novas músicas falam mais sobre isso de uma maneira direta, discutimos mais sobre isso a cada dia e vivemos mais isso tudo a cada dia, isso se reflete nos sons que fazemos, nas posturas que temos, mas sempre deixamos isso tudo presente na nossa música mesmo que de uma maneira mais leve e com sarcasmo.

Palco Local –  Como é o processo de criação das músicas da banda?

Naome Rita – Até então cada uma fazia algo e mandava pra outra, mostrava um riff  uma letra, eram coisas que já tínhamos e que fomos trabalhando meio que na distancia as vezes, por whats etc. e no ensaio botávamos em prática. Os novos sons estão bem mais consistentes e temos trabalhado neles mais abertamente, as duas juntas, o que tem dado outra cara pras músicas.

Palco Local –  Quais materiais já lançaram? (EP, Single, Vídeo clipe, Album Full, etc)

Naome Rita – Em 2014 lançamos um EP de demos que esta no youtube e no soundclound que conta com 2 video clipes. Em 2017 já como duo lançamos nosso primeiro EP oficial, o ‘’Tropical Punk’’ , gravado sem baixo e ao vivo, só nós duas, bem com nossa cara e do jeito que fazemos ao vivo. Ele já tem 3 clipes, o mais recente é da faixa ”Dado”, uma música mais lenta, com uma letra cheia de sarcasmo, mas no clipe colocamos a real ideia por de trás da música pra focar mais no assunto, contou com a produção da Nicole Micaldi.

Palco Local –  Quais são os planos futuros da banda?

Naome Rita – Pretendemos fazer mais alguns shows em outras cidades, já estamos também com algumas músicas novas sendo trabalhadas, acreditamos que em 2019 venha coisa muito boa por ai.

Palco Local –  Como está a agenda de shows? Costumam sair da região de Curitiba pra tocar em outras cidades ou estados?

Naome Rita – No momento estamos fazendo poucos shows na cidade mas não paramos, estamos ensaiando os novos sons e nos organizando melhor. Já tocamos em algumas cidades tanto do PR quanto de SC e SP, e esse ano em setembro, vamos para Bauneário Camboriú e Floripa (SC) e logo mais saem as datas para São Paulo e Bauru (SP).

Palco Local –  Há algum lugar ou cidade em especial que gostariam de tocar?

Sisie –  Na praia, o tropical punk é  propício para isso.

Ivy –  Eu quero muito voltar pra SP e fazer vários shows por lá, fizemos grandes amizades e lá tem muita banda de mina, bandas maravilhosas que queremos ver e rever ao vivo. E eu gostaria muito de tocar pelo Nordeste!

Palco Local –  Uma das músicas que mais gosto de vocês é “Alice odeia ovo” … essa música tem uma história por trás que valha ser contada? Ou que possa ser contada?

Sisie – A gente sempre tentando falar das coisas de uma maneira meio torta ou não clichê demais. Acho que foi minha maneira de falar sobre minha transição pro veganismo e como temos mais informações sobre isso hoje. Lembro que fizemos só o instrumental dela pra um outro projeto de HC que tínhamos. E um dia acabei balbuciando o que seria o refrão. É mais próximo também dos sons mais pesados que escuto e foi muito bacana ver a Ivy comprando a ideia da musica, que ela compôs primeiramente no baixo mesmo ela sendo bem diferente do que costumávamos fazer.

Palco Local –  Como as pessoas podem encontrar e falar com vocês? (Facebook, Youtube, etc)

Naome Rita – Se colocar um Naome Rita no facebook irão nos achar, estamos também no youtube, soundclond, deezer, spotify, instagram. Seguem os links  ai galerinha:

https://www.facebook.com/naomerita/
https://www.instagram.com/naomeritaduo/
https://www.youtube.com/channel/UCj1XhhSnC8VtDsY1UbaGO1Q

CLIPE DA MUSICA”DADO”  https://www.youtube.com/watch?v=Jw8lyN9XT4w

NOS SIGAM NO SPOTIFY https://open.spotify.com/artist/588JhzOuM9mrnKPWh55DzU

DEIXE UMA RESPOSTA